sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Pixies

Pixies são criaturas do folclore britânico, pequenas fadas delgadas que vivem na floresta, também acredita-se que são almas de crianças que morreram antes do batismo.
As pixies possuem uma beleza inigualável, embora algumas possam apresentar traços mais animalescos, semelhantes a uma cabra. Podem se disfarçar como crianças para confundir os outros, e como podem alterar sua forma também podem alterar sua altura. São seres benévolos que podem ajudar viúvas ou donas de casas com o trabalho doméstico. Muito belas, porém, costumam usar roupas velhas ou nenhuma roupa já que são pobrezinhos, e antes que seu coraçãozinho se aperte cheio de pena por eles, saiba que dar uma roupa a uma fada ou a qualquer elemental, ele se ofende e nunca mais volta, não sei porque agem assim, mas esta é a natureza deles.
Pixies podem raptar crianças ou alguém por quem elas se apaixonem.
Pixies são atraídas pelos cavalos, que quando os montam, tem o prazer de fazer tranças nas crinas dos cavalos, e são curiosas como os gatos, adorando explorar pequenas cavernas e até mesmo áreas grandes como um oceano ou fontes ocultas de córregos.

Yurei

 Yurei é um tipo de fantasma ou assombração tipicamente oriental, presente mais frequentemente no folclore japonês. Normalmente o Yurei é do sexo feminino, embora existam fantasmas dessa natureza que sejam do sexo masculino. A aparência de muitos é andrógina, tornando-se difícil discernir características de gênero. Tradicionalmente eles vestem roupas brancas esvoaçantes, quimonos, mantos ou capas longas que chegam a arrastar no chão e tem, em contraste, cabelos muito escuros, lisos e compridos que tampam o rosto ocultando suas feições. Por vezes, o rosto permanece transfigurado em uma expressão de dor, medo ou desespero da qual o yurei não consegue se dissociar. A face é como se fosse uma máscara de cera, transfixada numa expressão pétrea de horror e quando vista pela primeira vez causa choque e repulsa. A pele deles é muito branca, não apenas pálida, incrivelmente alva, como neve. Os olhos, a língua, lábios e unhas assumem uma coloração arroxeada, podendo se tornar mais escura até negras. Alguns possuem marcas pelo corpo, que evidenciam as causas de sua morte. Um yurei surgido a partir de um enforcamento terá manchas de ligadura ao redor do pescoço e sua cabeça irá pender em um ângulo incomum. Um ferimento de bala irá surgir como uma mancha escura que escorre eternamente uma substância vaporosa. Enquanto um afogado irá expelir água em profusão pela boca e narinas. 


Os yurei são espíritos presos a algum lugar ou objeto. Eles não conseguem se afastar ou esquecer de suas paixões quando vivos e permanecem ligados a elas através de sua existência amaldiçoada. Às vezes, eles estão em algum tipo de missão de vingança e não conseguem descansar enquanto esta não for cumprida. Esses espíritos vingativos, são conhecidos como Onyro e são considerados os mais perigosos, por serem implacáveis e incansáveis no seu intento.  Segundo o folclore japonês, o Yurei surge a partir de uma morte violenta carregada de poderosas emoções, em especial assassinatos e suicídios. Se um reikon (o equivalente japonês da alma ou espírito) se torna obcecado pelo ódio, sofrimento ou ciúme, ele pode cruzar de volta o portal que divide o mundo material do espiritual, tornando-se um yurei. Mulheres são mais frequentemente descritas como yurei porque a sociedade oriental as consideram bem mais emotivas do que os homens e portanto mais propensas a experimentar emoções profundas.     Diferentemente dos fantasmas ocidentais que parecem ter limites quanto a interagir com o mundo material, os Yurei não tem problemas quanto a atuar no mundo dos vivos. Eles conseguem falar livremente, manipular objetos físicos e incidir sobre uma determinada área como se fossem uma entidade corpórea. Fantasmas ocidentais também são passíveis de exorcismo, enquanto os yurei não são repelidos ou banidos por nenhum tipo de ritual religioso. A despeito de poder estabelecer uma comunicação inteligível com os vivos, os Yurei raramente o fazem. Suas intenções também ficam claras desde o início: se o intento de um yurei é obter vingança de seu algoz, ele não irá assustá-lo ou assombrá-lo, ao invés disso o matará na primeira oportunidade. Quando furiosos - sua condição habitual, os yurei se tornam especialmente perigosos atacando qualquer pessoa que esteja em seu caminho, não apenas aqueles de quem eles desejam se vingar. Eles podem agir como assassinos indiscriminados.  Uma característica comum aos yurei diz respeito ao seus longos cabelos. A aparição dessas criaturas é antecipada por uma enorme quantidade de cabelo surgindo do nada, seja em ralos de pia, no chão ou na boca de suas vítimas. Os yurei parecem ter uma relação com seu cabelo, como se ele fosse uma aspecto físico de seu ser. O espírito é capaz de estender o cabelo a qualquer comprimento, fazendo-o crescer ou encolher como bem entender. O cabelo sempre parece molhado ou úmido e muitas vezes se move sozinho como se fosse algo vivo.
Como fantasmas, Yurei são entidades sobrenaturais que ignoram as convenções do mundo natural. Eles são capazes de andar no teto ou nas paredes, desafiando a gravidade, podem se mover com grande rapidez transformando-se num borrão a medida que cruzam distâncias em um piscar de olhos. Eles são capazes de desaparecer nas sombras e surgir em outro canto de uma sala. O movimento dos yurei é desconjuntado e vacilante, suas pernas e braços se movem em ângulos estranhos e não é incomum vê-los andando de quatro, engatinhando ou se arrastando sofregamente. Uma vez que eles não fazem parte do plano material, seu estado geral é de semi-materialidade. Raiva, ódio, medo e outros sentimentos concedem a ele atributos materiais, isso significa dizer que o yurei precisa estar sentindo uma forte emoção para conseguir ferir um alvo. Em contrapartida, eles se tornam incorpóreos para serem tocados quando estão enraivecidos. A aparência física dos yurei também é passível de mudanças drásticas. O folclore nipônico ressalta que esses espíritos podem assumir a aparência que tinham em vida por alguns instantes (o suficiente para enganar ou ludibriar uma pessoa). Eles também podem assumir uma aparência cadavérica repulsiva ou fazer suas feições derreterem como se fossem feitas de cera derretida. Eles tem plena consciência que essas demonstrações causam reações emocionais nos vivos e tendem a usá-las para desestabilizar.
Não é possível racionalizar com um yurei e é justamente isso que o torna especialmente perigoso. Eles não desistem, não aceitam e não se curvam, mesmo que se prove que seu intento é errado ou enganoso. Por exemplo, mesmo que uma pessoa prove a um yurei que não tinha intenção de provocar sua morte e que tudo decorreu de um acidente, a assombração não irá aceitar essa constatação. A carga emocional que os transforma em mortos-vivos, faz com que eles ganhem uma certeza imutável. Yurei não são capazes de mudar esse status. As emoções cruas que permitem sua existência, ardem para sempre. Mesmo após obter sua vingança, as emoções prosseguem em constante ponto de ebulição. Nada pode aplacar essas emoções, não há descanso ou limite.


*Fonte:http://mundotentacular.blogspot.com.br/2013/07/yurei-as-aterradoras-assombracoes.html

sábado, 30 de julho de 2016

O que são larvas astrais e miasmas e como se livrar deles

       As larvas astrais são o resultado de pensamentos, sentimentos, emoções negativas, e comportamentos reprováveis que se desprendem do nosso corpo (físico e mental) e ficam presas no ambiente onde vivemos ou estamos, grudando-se nas paredes, no teto e muitas vezes até mesmo em móveis e objetos. Essas larvas têm as mais variadas formas e colorações, mas via de regra se apresentam como criaturas pegajosas, asquerosas e sempre com cores desagradáveis e escuras, tal como o vermelho de sangue podre, o verde de carne putrefata, e assim por diante; jamais apresentam forma e cor agradáveis, e quem as consegue ver sempre fica mal impressionado e enojado, porquanto elas se juntam umas nas outras (tal qual as minhocas ou os vermes se procuram e se agrupam) e seus corpos sempre emitem, de tempos em tempos, energias densas que se espalham pelo ambiente. Essas energias são os miasmas. Do lugar onde se fixaram só saem quando no ambiente ocorrem situações iguais ou semelhantes à situação inicial que as gerou, e enquanto perdurar a situação presente elas circulam por todos os cômodos da casa ou do local onde estão, e, neste passeio macabro, elas soltam fluidos que vão contaminando todos os que ali se encontram, independentemente da idade que se tenha, e provocando as mais imprevisíveis reações. Via de regra, essas reações nunca são suaves, porque as larvas se alimentam das nossas vibrações mentais ou emocionais e por isso mesmo vão provocar reações iguais àquelas da qual nasceram.
        Numa família dada à brigas e discussões violentas e descontroladas, onde todos acabam se envolvendo no conflito mesmo que contra a sua vontade, as larvas se desprendem e ficam gravitando ao redor dos que ali estão, fomentando mais e mais discórdia, ao ponto de uma simples discussão se tornar em agressões verbais pesadas e até mesmo físicas, de proporções quase sempre inesperadas. A cada nova briga ou discussão, nova leva de larvas são criadas, até que chegará um dia em que naquela casa dificilmente as pessoas conseguirão viver em harmonia ou em paz, uma vez que os miasmas as impelem para novas brigas.

      Criaturas que entram em depressão costumam emitir pensamentos altamente negativos e emoções mais negativas ainda, e por passarem a maior parte do tempo mergulhadas na sua depressão, acabam criando um verdadeiro ninho de milhões de larvas de igual conteúdo. As larvas se locomovem pela casa toda, ou pelo ambiente de trabalho, e começam a influenciar as demais pessoas, que, tão logo sejam tocadas pelo seu miasma imediatamente se sentem deprimidas, tristes ou angustiadas: e assim que saem de dentro da casa, sentem-se novamente bem e recuperam seu equilíbrio emocional. Pessoas que entrarem na casa de um deprimido, logo sentirão um mal-estar desconhecido, sendo os miasmas responsáveis por este mal súbito.
Os alcoólatras e os dependentes físicos são verdadeiras fontes geradoras de larvas astrais, que não só se agregam ao ambiente onde vivem, como se agarram ao seu campo magnético e à sua aura. Nestes casos, além das larvas que eles próprios emitem, ainda existe o agravante das larvas trazidas pelos Eguns, espíritos desencarnados, que em 99% dos casos, os acompanham. A presença dessas pessoas, em qualquer lugar que se encontrem, é sempre desagradável e provocam as mais diversas reações, justamente porque as larvas estão grudadas em seu campo áurico e magnético.
Em casa onde haja alguém com doença grave, geralmente existem larvas que se alimentam das vibrações de dor, de medo, de queixas e lamentações do paciente, e muitas vezes dos miasmas produzidos pela própria doença.
        A melhor maneira de evitarmos essas criações perigosas, é justamente não ficarmos remoendo pensamentos negativos, é não sermos maledicentes, é não nos comprazermos com pensamentos ou conversas levianas, é evitarmos brigas e discussões, e tentarmos não nos entregar a sentimentos e emoções negativas.

       Dependendo da extensão do problema, serão necessárias muitas aplicações energéticas para limpeza, desinfecção e re-harmonização da região afetada, o que pode exigir a atuação de vários aplicadores, em várias sessões, para que estas colônias sejam enfraquecidas e não possam mais se expandir, vindo a desaparecer. Mas, como em qualquer tratamento físico, a colaboração do “paciente” é imprescindível, uma vez que estas larvas são criadas e alimentadas pelas energias geradas pelos seus próprios pensamentos e sentimentos. Assim, além das aplicações energéticas, é necessário que se oriente e conscientize a pessoa sobre como e porque mudar os seus hábitos mentais e as suas atitudes, garantindo que ela mesma não mais oferecerá condições para que estas larvas se instalem e espalhem.

Loção contra miasmas e larvas astrais:


Você vai precisar de:

Arruda, Artemísia, Canela, Guiné, Manjericão, Manjerona e as pétalas de 3 Rosas Vermelhas. Compre também um pacotinho de Uági azul (encontrado nas casas de artigos de Umbanda e Candomblé) 1 borrifador de água, aqueles que usamos para molhar as plantas, e um maço de velas brancas comuns.

No último dia da Lua Cheia, ponha para ferver 1 litro de água mineral sem gás ou água filtrada, e quando levantar a fervura vá colocando as ervas acima, usando como medida uma xícara de café para cada qualidade, a exceção das pétalas de Rosas Vermelhas que devem ser das 3 flores. Deixe ferver tudo por cinco minutos, e em seguida apague o fogo, tampe a panela e deixe esfriar totalmente. Quando estiver frio, coe e coloque a água preparada numa garrafa de vidro, de cor escura, e tampe bem. Deixe descansando por vinte e quatro horas, num lugar fresco e escuro, fora do alcance das pessoas.
            Ferva mais um litro de água filtrada ou mineral sem gás, e quando estiver fervendo coloque uma xícara de café de Mate ou Chá Preto, deixando cozinhar por cinco minutos. Apague o fogo, tampe a panela e deixe esfriar. Quando estiver frio, coe e passe para um recipiente de vidro. Tampe e reserve.
            No dia seguinte, que será o primeiro dia da Lua Minguante, coloque a Loção no borrifador, até a metade do mesmo, acrescente uma colher de café com o Uági, e complete com água gelada. Feche o borrifador, agite bem para que o Uági se misture bem com a água, acenda uma vela branca pedindo a proteção do seu Anjo de Guarda, e vá aspergindo a Loção por todos os cômodos da sua casa, principalmente nas paredes e no teto, sempre mentalizando e visualizando uma luz branca leitosa saindo de dentro do borrifador e se anexando aos locais onde você está aspergindo, como se ela estivesse lavando os locais. É importante não deixar acabar o conteúdo do borrifador, e quando estiver quase chegando ao fim coloque somente mais um pouco da loção, de forma que dê para completar seu trabalho.
        Terminando de aspergir, jogue o que sobrou em água corrente, lave e guarde seu borrifador, e defume a casa toda com um Incenso composto por Benjoim, Olíbano (incenso de igreja), Mirra e Sândalo, começando dos fundos da casa para frente, e pedindo ao Santo da sua devoção, que conserve o seu ambiente limpo e livre das larvas astrais.
Tendo feito todo o procedimento, tome primeiro o banho de Mate ou Chá Preto, da cabeça aos pés, deixe passar uns minutos e depois tome seu banho de higiene normalmente.
Repita o procedimento acima durante todos os dias da Lua Minguante, por se tratar da primeira vez em que vai eliminar as larvas. Depois disto, basta fazer esta limpeza uma vez por semana, de preferência às terças feiras.

      É importante saber que o banho que recomendamos acima vai retirar quaisquer impurezas que tenham ficado no seu campo áurico e magnético, razão pela qual é imprescindível tomá-lo ao fim de cada procedimento.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os vampiros existem e estão entré nós

   Olá, boa-noite, bruxinhos? Como vão? É faz tempo que não atualizamos o blog e peço desculpas porque tanto o Bruno quanto eu andamos um pouco "ocupados", mas voltaremos aos poucos, não se preocupem.
         Certamente todos vocês já ouviram falar de vampiros, sim, há muitos filmes e séries que abordam o tema, mas sempre de forma vaga ou romântica demais, o que eu não gosto muito porque a verdadeira essência do vampiro fica esquecida. Eu mesma confesso que muitas vezes já me senti constrangida por escrever sobre vampiros, mas que eles existem... Existem. No entanto, não são como todos nós imaginamos. Talvez falar de vampiros fuja um pouco da linha Wicca, mas como sou eclética e estou experimentando de tudo um pouco, não vejo problema em falar desse ser sedutor e sombrio. 
         O vampiro pode ter um corpo físico e um corpo astral - ao contrário do que muita gente acredita, o vampiro não deixa de existir só porque alguém cravou uma estaca em seu coração -. Quando o vampiro morre, ou seja, abandona esse plano material, sua alma sombria é puxada para o Umbral. Lá, ele aterroriza outras almas, alimentando-se de energia vital. Li uma vez num livro espírita que tomei emprestado da minha mãe, que mesmo depois de mortos, ainda mantemos alguma energia - tudo é energia, ao menos enquanto existir, se de forma astral ou física tanto faz, se existe tem energia -, e se terminamos num lugar como o Umbral, outros seres como vampiros, ghouls e demônios tentarão roubar o que temos de mais precioso, nossa energia. E como fica uma alma com pouca ou nenhuma energia? Perde suas memórias, fica confusa e torna-se selvagem ou em muitos casos, nem isso... 
           Em muitas viagens astrais que fiz - voluntária e involuntariamente - até o umbral, pude comprovar por mim mesma o quão ruim é aquele lugar... Um lugar abandonado, cinzento numa parte, e escuro em outra, com almas semelhantes a zumbis vagando sem rumo... E na parte mais escura, pessoas penando pelos seus pecados, sendo torturadas por demônios. Houve uma vez em que fui a parte mais escura e encontrei uma moça nua, encolhida num canto frio, chorando. Perguntei a ela o que havia acontecido e como ela viera parar até ali. Ela me contou que estava noiva e quando seu noivo desistiu do casamento, ela tirou a própria vida e agora estava ali e não conseguia sair do escuro. Um demônio vestido de palhaço se aproximou e disse para eu me afastar porque ela era dele e que eu também seria se não fosse embora. A voz dele era gutural e eu morri de medo, principalmente quando ele mostrou suas garras animalescas. Mas lembrei-me que era uma bruxa e do que Eddie disse uma vez em seu livro, que uma bruxa só é sugada por um vampiro se permitir isso. Aquela coisa só me faria mal se eu permitisse. Pedi proteção a deusa Badb e ela me atendeu porque o demônio não conseguiu me tocar. Ficou me rondando, furioso, como um lobo faminto, e me ameaçando e me ofendendo, mas não me tocou.
        Abracei aquela pobre moça que chorava, assustada, e disse a ela que só ela podia se libertar e sair da escuridão onde se encontrava. Ela disse que não conseguia. Apertei a mão dela e disse que ela conseguiria sim, que só precisava perdoar a si mesma porque ela estava cheia de dor, remorso e rancor em seu coração. Ela me encarou surpresa e disse: "Me perdoar?", eu assenti com a cabeça. Sabia que fora a deusa que me levara até ali porque eu podia ajudar aquela alma a se libertar e eu não desistiria dela. A moça me ouviu e fez o que eu pedi e num instante, estávamos no funeral dela. Vi toda a sua família lá, chorando por ela. Foi algo muito comovente. Não sei dizer com precisão de que época ela era, mas pelos trajes das pessoas, provavelmente, dos anos 20. Ela olhou para o próprio corpo no caixão e chorou. Os pais a haviam enterrado com o vestido que ela usaria no casamento. Foi muito triste! Eu soltei a mão dela e gesticulei para ela ir até a sua família. Obviamente todos estavam mortos e aquilo era puro simbolismo ou sei lá, chamem como quiser, muita coisa é confusa do outro lado... A família a abraçou, todos choraram, emocionados e disseram que estavam esperando por ela. Ela disse que estava lá agora e que nunca mais os deixaria. Depois ela se voltou a mim e me agradeceu, feliz. Foi a primeira vez que resgatei uma alma e a sensação é indescritível... Sério, não tem preço. Me senti como um tipo de anjo ou sei lá. Sei que nesse momento toda a minha existência valeu a pena. Assim como tirar uma vida muda um homem, salvar uma, também o muda. Antes que pensem que isso é fantasia minha, não serei a primeira nem a última a fazer algo semelhante. Já li muitos relatos por aí de médiuns que descem até o umbral para resgatar almas perdidas, acho até que tem um filme sobre isso. Antes eu não entendia como os médiuns podiam querer descer a um lugar tão assustador só para ajudar alguém que provavelmente merecia estar ali... Mas depois que aconteceu comigo, eu entendi. E volto a repetir: Os mortos não devem ser temidos, eles são como nós, cheios de sentimentos... E muitos deles aprenderam com seus erros e se tornaram sábios. Sempre que tenho a oportunidade de encontrar um deles em minhas viagens astrais, eu fico muito emocionada porque eles sempre tem um conselho para mim, e me fizeram entender que não importa o tamanho dos meus problemas, tem solução enquanto eu estiver viva, e que nada no mundo justifica eu tirara vida porque a vida é o que temos de mais preciosos, e nas palavras de meu falecido avô que, infelizmente, não cheguei a conhecer: "Na vida, tudo é aprendizado e temos de tirar o máximo disso, da vida". Ele me disse isso em um sonho o qual nunca esquecerei.
          Como perceberam, às vezes, almas boas terminam em lugares ruins por causa de suas escolhas. Essas almas são dignas de pena e não devemos teme-las, mas sim, tentarmos ajudá-las, nem que seja orando por elas. Mas assim como há as almas boas, há, também as almas más, que o tempo todo estiveram conscientes de suas más ações e em nenhum momento voltaram atrás em suas escolhas. Estas almas más, muitas vezes, se tornam vampiras após a morte. Para que entenda melhor, o vampiro não é só uma criatura que se alimenta de sangue, podendo ser também um ser que drena energia de outros seres ao seu redor. Algumas seitas ensinam seus seguidores a roubarem energia vital das pessoas a sua volta, ou seja, a se tornarem vampiros de energia. Roubar energia é viciante e é difícil parar. 
          Sabe quando você está feliz da vida e sempre que se aproxima de fulano, se aborrece ou fica de mau humor? Essa pessoa roubou sua energia - às vezes de forma consciente, ou outras, de forma inconsciente -. Meu conselho é que tente se afastar dessa pessoa ou que tente ajudá-la, orientando-a para que ela cuide de sua aura e saia das sombras. Uma dica para não ter sua energia roubada é evitar encarar o suposto vampiro nos olhos e evitar o toque, e se valer de algum amuleto ou talismã, ou alguma prece contra vampiros, e claro que se afastar também ajuda.
            Vampiros são sedutores, envolventes e manipuladores e MUITO pacientes. Eles podem esperar pelo tempo que for antes de atacar sua vítima. A maioria deles é obsessivo e quando escolhe uma pessoa em especial nutre uma relação doentia de vai e vem, brigas e muita paixão, é um misto de amor e ódio e paixão. Ele tira o melhor de você e quando você pensa que está destruída e se ergue de suas próprias cinzas, o infeliz chega de mansinho e volta a te vampirizar. Resumindo: o vampiro usa e abusa de você e te joga no lixo. Se você sair dali vivo, ele espera você se fortalecer e retorna e aí temos um ciclo vicioso. A única forma de se libertar é quebrando o elo entre vocês, o que nem sempre é fácil, pois pode levar um tempo, às vezes. O mal da vítima é que nem sempre ela tem forças para lutar contra o que a aflige e acha mais fácil se entregar que lutar. Falo por experiência própria. Houve um tempo em que eu fui vampirizada pelos elfos e quase abandonei a magia por isso. Sabe como eu me libertei? Lutando e orando para os arcanjos e para as deusas. Badb e Hécate me ajudaram muito. Claro que mexer com Badb causa um efeito colateral sob mim, deixando-me com muita raiva, às vezes, mas pelo menos, estou protegida e me sinto capaz de fazer qualquer coisa. A magia é um caminho solitário. Não espere que ninguém te estenda a mão e te levante do chão. Levante-se sozinho e acredite em si mesmo: Um (a) bruxo (a) tem o poder! Está tudo em nós e quando entenderem isso, perceberão que são capazes de fazer qualquer coisa. Não perca tempo tentando levitar ou mover as coisas com a mente, faça isso através de visualização porque se treinar, com o tempo, poderá fazer isso astralmente, e vai por mim... Quando estiver fugindo de elfos ou duendes malucos, voar e correr velozmente será muito útil. Treino sempre minhas habilidades astrais e hoje, posso dizer que astralmente, corro mais rápido que os elfos e voar é uma delícia. Experimentem. É uma forma de não só trabalharem seu lado psíquico como melhorarem sua habilidade na hora de visualizar e meditar. Quanto mais praticar, mais forte ficará. Não precisa começar com nada difícil. Tente trabalhar com um mesmo cenário, objeto ou pessoa quando estiver visualizando. Pode visualizar algo que lhe seja familiar como seu quarto ou o quintal de sua casa, ou então visualize sua cantora preferida, etc. Por mais surreal que soe, é a forma mais fácil de se começar. Não precisa visualizar algo por horas, apenas por um tempo, alguns minutos... Pode ser antes de dormir ou depois de acordar, quando quiser. Do outro lado, você pode fazer qualquer coisa, soltar bolas de fogo,  fazer tremer a terra, etc, é só praticar. Também é verdade que pode criar um lugar só seu do outro lado, mas para isso aprender a visualizar é importante.

           Voltando aos vampiros, há elementais que podem assumir esse estilo de vida, como fadas e elfos sombrios. Alguns são amaldiçoados e o fazem contra a sua vontade, e outros o fazem porque simplesmente se viciaram em energia e/ou não possuem luz própria e precisem roubar a dos outros para não enfraquecerem. Não é o caso das ninfas que conseguem drenar energia a vontade da terra e da água. A exemplos de fadas vampiras, posso citar Leanan Sidhe (que dá inspiração e fama a autores, cantores, atores, etc, em troca de sangue e energia vital), e Julianne Melancólica. Naturalmente, as fadas sombrias são vampiras, estas fadas são conhecidas como fadas da noite e normalmente podem ser vistas dançando ou cantando nas noites de luar, seduzem jovens e raptam crianças. Já os elfos sombrios ou elfos da noite são sedutores e roubam energia através do toque ou enquanto suas vítimas dormem, elfos da paixão, principalmente. Tem também as famosas Damas De Branco, mundialmente conhecidas. Quem não se lembra da lenda da mulher de branca (Brasil) ou La Llorona (México)? Essas criaturas belas, sensuais e perigosas podem ser espíritos de fadas amaldiçoadas ou mortas, ou mulheres humanas que tiraram a própria vida por amor ou morreram de forma violenta. Nem sempre elas são más, muitas podem ser protetoras das mulheres. Outras no entanto, aparecem as mulheres que sofrem por amor e oferecem duas opções a esta: esquecer a pessoa amada ou juntar-se a ela (a dama). Na hora eu esqueceria! Que medo! Outras damas ainda podem seduzir os homens, levando-os a cometer adultério e matando-os, nesse caso, a única forma de se safar dessa seria o homem resistindo aos encantos da dama, mas ainda assim, ela poderia se enfurecer e drenar o sangue dele, deixando-o a beira da morte. Então, rapazes... Risquem essas fadas da sua listinha, e pessoa apaixonadas, também. ;)

           Há algum tempo atrás, eu visitei um lugar abandonado muito bonito e fiquei fascinada com a ideia de contatar essas fadas, até porque antes disso eu tinha visto o vulto de uma garotinha toda de branco, da cabeça aos pés, com um véu cobrindo o rosto, envolta numa luz branca em meu quarto. Contei isso em A Dança Das fadas. Tenho certeza que foi uma dessas fadas. O louco é que eu nem tinha contatado as damas brancas ainda, mas andava com vontade de me afastar da magia porque não conseguia chegar até as fadas. Depois disso eu tive certeza de que fadas eram reais e que podiam se materializar neste plano quando quisessem. Depois que fiz o ritual para as damas de branco eu não vi nem senti nada... Até agora. Tive um sonho tão realista e assustador. Vi três damas de branco. Elas tinham a pele e os cabelos brancos, como albinas e os olhos vermelhos, além de presas de vampiro. Usavam vestidos brancos e tinham as unhas grandes e pontiagudas. Elas me encurralaram e quando pensei que fossem me morder, elas não o fizeram e me contaram a história delas, disseram-me que o pai delas era um maquinista e que viviam felizes antes de elas serem amaldiçoadas e abandonas ali. Sei que não me machucaram porque queriam que eu contasse a história delas. Pesquisei a respeito e descobri que elas também são presságio de morte, que quando vistas alguém na família vai morrer ou a própria pessoa que avistou-as. Se for eu, vou em paz porque sei que não devo temer a morte e que os deuses vão me guardar. Seja como for, não posso evitar o fascínio que sinto por essas damas. Segundo as lendas a única forma de se proteger de elementais vampiros é usando ferro (você pode gravar a Cruz De Troll num ferro e usar como proteção), espinhos de rosa silvestre e espalhando sementes de mostarda na soleira da janela ou em cima do telhado, ou recorrendo a preces contra vampiros (tem algumas por aí, é só pesquisar, mas de qualquer forma, deixo uma a seguir).

Oração para a meia-noite (contra vampiros):


Oh, anjo da minha guarda, nesta hora de terror, me livre das más visões, do vampiro aterrador. Deus me ponha a alma em guarda, dos perigos e da tentação, de mim aparte os maus sonhos e opressões do coração.
Oh, anjo da minha guarda que me preserve dos vampiros, por mim pede a Virgem Maria, enquanto for vivo, amém.


     Se precisar, pode fazer esta oração a qualquer ora. Tente decorá-la porque se tem uma coisa que aprendi é que nem sempre nosso livro das sombras está ao nosso alcance e algumas coisinhas temos de saber de cor. 

         Tome cuidado também com estes supostos rituais que prometem torná-lo um vampiro, isso é a maior furada, e quase sempre é algum tipo de pacto mascarado. Fique esperto, amiguinho. Não é legal ser um vampiro, especialmente porque está condenado a passar a eternidade em um lugar nada agradável, e não pense que os vampiros são os fodões lá no Umbral porque os demônios é quem são e eles destroem tudo que veem pela frente. Não vou parar aqui e, em breve, trarei mais posts a vocês sobre o assunto. Prometo. Fiquem bem, bruxinhos.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Feliz dia do Amigo!


Difícil querer definir amigo.

Amigo é quem te dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que você precisa, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.

Amigo é mais que um ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante, costas largas. É quem tentou e fez, e não tem o egoísmo de não querer compartilhar o que aprendeu. É aquele que cede e não espera retorno, porque sabe que o ato de compartilhar um instante qualquer contigo já o realimenta, satisfaz. É quem já sentiu ou um dia vai sentir o mesmo que você. É a compreensão para o seu cansaço e a insatisfação para a sua reticência.

É aquele que entende seu desejo de voar, de sumir devagar, a angústia pela compreensão dos acontecimentos, a sede pelo “por vir”. É ao mesmo tempo espelho que te reflete, e óleo derramado sobre suas águas agitadas. É quem fica enfurecido por enxergar seu erro, querer tanto o seu bem e saber que a perfeição é utopia. É o sol que seca suas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais seu sorriso.

Amigo é aquele que toca na sua ferida numa mesa de chopp, acompanha suas vitórias, faz piada amenizando problemas. É quem tem medo, dor, náusea, cólica, gozo, igualzinho a você. É quem sabe que viver é ter história pra contar. É quem sorri pra você sem motivo aparente, é quem sofre com seu sofrimento, é o padrinho filosófico dos seus filhos. É o achar daquilo que você nem sabia que buscava.

Amigo é aquele que te lê em cartas esperadas ou não, pequenos bilhetes em sala de aula, mensagens eletrônicas emocionadas. É aquele que te ouve ao telefone mesmo quando a ligação é caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se tivesse olhando em seus olhos. Amigo é multimídia.

Olhos… Amigo é quem fala e ouve com o olhar, o seu e o dele em sintonia telepática. É aquele que percebe em seus olhos seus desejos, seus disfarces, alegria, medo. É aquele que aguarda pacientemente e se entusiasma quando vê surgir aquele tao esperado brilho no seu olhar, e é quem tem uma palavra sob medida quando estes mesmos olhos estão amplificando tristeza interior. É lua nova, é a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante, com múltiplas e inesperadas cores que cabem todas na sua íris.

Amigo é aquele que te diz “eu te amo” sem qualquer medo de má interpretação: amigo é quem te ama “e ponto”. É verdade e razão, sonho e sentimento. Amigo é para sempre, mesmo que o sempre não exista.

Autoria desconhecida

domingo, 10 de julho de 2016

13 Coisas para Lembrar quando a Vida fica Difícil


Sidarta Gautama, o Buda nos deixou um legado de grande sabedoria. Entre tantas pérolas, separo 13 conselhos deixados para aqueles que vivem momentos difíceis. Existe, segundo Buda, uma forma de viver esses momentos de uma maneira mais tranquila e o segredo tem a ver com atitude:

1) AS COISAS SÃO O QUE SÃO

A nossa resistência às coisas é a principal causa do nosso sofrimento. Este acontece quando resistimos às coisas como elas são. Se não se pode fazer nada, relaxe. Não lute contra a correnteza, aceite ou então se consuma em seu sofrimento.

2) SE VOCÊ ACHA QUE TEM UM PROBLEMA, VOCÊ TEM UM PROBLEMA

Repare que tudo é olhado através de uma perspectiva. Em um determinado momento as coisas parecem difíceis, no outro não. Sabendo disso, caso tenha uma dificuldade escolha entendê-la como um desafio, uma oportunidade de aprendizado. Se enxergá-la como um problema, essa dificuldade será certamente um problema.

3) A MUDANÇA COMEÇA EM VOCÊ MESMO

Seu mundo exterior é um reflexo do seu mundo interior. Temos o hábito de achar que tudo ficará bem quando as circunstância mudarem. A grande verdade, no entanto, é que as circunstâncias só mudarão quando essa mudança ocorrer em nosso interior.

4) NÃO EXISTE APRENDIZADO MAIOR DO QUE FALHAR

O fracasso não existe!!! Entenda isso de uma vez por todas. Todas as pessoas de sucesso já falharam diversas vezes. Aproveite suas falhas como um grande aprendizado. Se fizer isso, na próxima vez estará mais perto do sucesso. A falha é sempre uma lição de aprendizado.

5) SE ALGO NÃO ACONTECE COMO O PLANEJADO, SIGNIFICA QUE O MELHOR ACONTECEU

Tudo acontece de forma perfeita, até quando dá errado. Muitas vezes, quando olhamos para trás, percebemos que aquilo que consideramos errado, na verdade foi o melhor que podia ter acontecido. No entanto, quando dá certo, certamente estamos alinhados com nosso propósito de vida. O universo sempre trabalha a nosso favor.

6) APRECIE O PRESENTE

Nós só temos o momento presente! Portanto não o deixe passar perdendo tempo com o passado. Valorize seu momento presente pois ele é único e importante. É a partir dele que cria sua vida futura.

7) DEIXE O DESEJO DE LADO

A maioria das pessoas vive a vida guiadas pelos desejos. Isso é extremamente perigoso, um desejo não satisfeito transforma-se em uma grande frustração. Frustação desencadeia uma energia negativa muito forte e retrai seu crescimento. Procure entender que tudo o que precisa vai chegar até você se cultivar sua felicidade incondicional. Pratique uma mente isolada, só assim suas emoções permanecerão felizes ou neutras.

8) COMPREENDA SEUS MEDOS E SEJA GRATO POR ELES

O medo é o contrário do amor, é quem mais atrapalha sua evolução caso não saiba entendê-lo. No entanto ele é importante na medida em que fornece uma grande oportunidade de aprendizado. Quando enfrenta e vence o medo, se torna mais forte e confiante. Superar seus medos requer prática, o medo é apenas uma ilusão e, acima de tudo, é opcional.

9) EXPERIMENTE ALEGRIA

Existem pessoas que se divertem com tudo o que lhes acontece. Mesmo na pior situação, riem de si mesmas. São pessoas felizes que enxergam crescimento em tudo. Essas pessoas aprenderam que é importante focar na alegria e não nas dificuldades. O resultado é que atraem muito mais situações felizes do que tristes.

10) NUNCA SE COMPAREM COM OS OUTROS

Você é único, veio aqui com uma missão só sua. E ela é tão importante quanto a de qualquer outra pessoa. Mesmo assim se não conseguir evitar comparações, compare com quem tem menos que você. Isso é uma ótima estratégia para perceber que tem sempre muito mais do que precisa para ser feliz.

11) VOCÊ NÃO É UMA VÍTIMA

Você é sempre o criador de suas experiências! Tudo o que lhe acontece foi atraído por você mesmo e extremamente necessário pra seu aprendizado. Quando algo que considera desagradável acontecer com você, agradeça e pergunte: “Por que será que atraí isso para minha vida?”, “O que preciso aprender com essa experiência?”.

12) TUDO MUDA

Isso também vai passar…palavras de Chico Xavier. Tudo nessa vida é dinâmico, tudo muda em um segundo. Portanto, não fique se lamentando. Caso não saiba o que fazer, não faça nada. O universo não para de mudar, crescer e se expandir, sendo assim espere, por que tudo vai passar.

13) TUDO É POSSÍVEL

Milagres acontecem todos os dia, e nós mesmos é que somos responsáveis por eles. Confie e acredite nisso. Na medida em que conseguir sua mudança de consciência, encontrará em você o poder de realizar milagres. É tempo de mudar e entender sua importância, a possibilidade que você tem de mudar o mundo. Acredite!!!!

Esse texto foi baseado na obra “13 things to remember when life gets rough“ “13 coisas para lembrar quando a vida fica difícil.”

Roberto Legey

sábado, 2 de julho de 2016

Cultive a Felicidade


 Desde os primórdios da humanidade, que o ser humano procura a felicidade como a terra seca clama pela água. É fácil conquistá-la? Nem sempre! Os poetas homenagearam-na, os romancistas descreveram-na, os filósofos contemplaram-na, mas grande parte deles saudaram-na apenas de longe.
Os reis tentaram dominá-la, mas ela não se submeteu ao poder deles. Os ricos tentaram comprá-la, mas ela não se deixou vender. Os intelectuais tentaram compreendê-la, mas ela confundiu-os. Os famosos tentaram fasciná-la, mas ela contou-lhes que preferia o anonimato. Os jovens disseram que ela lhes pertencia, mas ela disse-lhes que não se encontrava no prazer imediato, nem se deixava encontrar pelos que não pensavam nas consequências dos seus atos.
Alguns acreditaram que poderiam cultivá-la em laboratório. Isolaram-se do mundo e dos problemas da vida, mas a felicidade enviou um claro recado a dizer que ela apreciava o cheiro das pessoas e crescia no meio das dificuldades.
Outros tentaram cultivá-la com os avanços da ciência e da tecnologia, mas eis que a ciência e a tecnologia se multiplicaram e a tristeza e as mazelas da alma se expandiram.
Desesperados, muitos tentaram encontrar a felicidade em todos os cantos do mundo. Cansados de procurá-la, alguns disseram: “Ela não existe, é um sonho de sonhadores que nunca acordam.”A felicidade bateu à porta de todos. Deu sinal de vida na história dos abatidos e dos animados, dos depressivos e dos sorridentes, dos que representam e dos que vivem sem maquilhagem. Sussurrando aos ouvidos do coração, ela disse baixinho: “Hei! Não estou no mundo em que você está, mas no mundo que você é!” Confusos gritamos: “O quê? Importa-se de falar mais alto?” Como a voz de uma suave brisa ela balbuciou delicadamente: “Não me procure no imenso espaço nem nos recantos da Terra. Viaje para dentro de você mesmo. Eu escondo-me nas vielas da sua emoção, no cerne do seu espírito...”A maioria das pessoas não compreendeu a sua linguagem. Esperavam que ela se manifestasse como o ribombar dos trovões. Mas ela ama o silêncio. Sorrateira, ela aparece quase imperceptível nas curvas da vida e nas coisas singelas da existência. Por não a conseguirmos compreender, navegamos sem leme. Desprezamo-la, mas ela resistiu. O resultado é que a felicidade habitou na alma de muitos por pouco tempo e na alma de poucos por toda a vida.
A felicidade tem muitas filhas e filhos: o amor, a tranquilidade, a sabedoria, a alegria, a paciência, a tolerância, a solidariedade, o perdão, a perseverança, o domínio próprio, a bondade, a autoestima. Nunca se viu uma família tão unida!
Se maltratar alguns dos seus membros, tem grandes hipóteses de perder a família toda. Se ferir o amor, perderá a tranquilidade; se a tranquilidade o abandonar, perderá a perseverança; se a perseverança partir, perderá a sabedoria; se a sabedoria se for, a autoestima dirá adeus.
Precisamos aprender a conhecer o mundo da emoção para cultivar a felicidade. A felicidade é amiga do tempo. É preciso treinar a emoção para ser feliz: aprender a gerir os pensamentos, proteger a emoção nos focos de tensão, pensar antes de reagir, colocar-se no lugar dos outros, perseguir os sonhos, valorizar o espetáculo da vida. Por que razão é que a solidão, a baixa autoestima, a ansiedade, a fadiga e a irritabilidade têm sido companheiras de jovens e adultos? Porque eles nunca treinaram as suas emoções para mudar os pilares da sua história. Muitos ainda vendem uma ideia inadequada do que é ser feliz.

Augusto Cury
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...